6 dicas para investir melhor o seu dinheiro

Por Roberta Leite*

Manter o equilíbrio financeiro e saber aplicar bem o dinheiro são dois fatores que deixam seu sono mais tranquilo. A questão financeira é um detalhe na vida que implica na estabilidade da família e não pode ser levado na improvisação.

É importante ressaltar que mais do que fórmulas recomendadas a seguir, a situação será o resultado do seu perfil, de como é seu comportamento como consumidor, como é sua relação com seu dinheiro.  Algumas dicas servem para você ajustar esse capítulo e conseguir um retorno maior ou pelo menos um equilíbrio. Vamos a elas:

1- Não procure investimentos mágicos

Promessas de muito dinheiro com pouco trabalho já é uma pista que o negócio é uma ilusão. Não corra atrás de milagres para rentabilizar seu dinheiro.

Se quiser investir em algo, procure todas as informações possíveis, inclusive em órgãos fiscalizadores e reguladores de mercado. Não caia na tentação de multiplicar seu dinheiro da noite para o dia, isso não existe.

2 –Tenha disciplina

Não ter controle sobre os gastos, gastar mais do que se ganha são os piores erros e que colocam indivíduos na corda bamba. Para qualquer investimento é necessário seguir o passo a passo de um processo cauteloso e sem pressa.

Conheça a si mesmo e tente corrigir suas falhas. Pratique investimentos com situações comuns, um exemplo, uma viagem para o exterior, construa uma meta. Tome isso como uma maneira de aprender a lidar com gastos, compras, reservas, etc. No final, avalie se você alcançou seu objetivo dentro do esperado ou saiu completamente do limite dos gastos. Corrija os erros da próxima vez.

3 – Procure ajuda profissional

Você não precisa ser um expert em economia, mas precisa estar por dentro da situação que o investimento vai exigir de você, para isso há profissionais capacitados para mostrar a situação do mercado e exemplificar fatores. Tente junto avaliar se é melhor tirar um empréstimo para investir ou usar sua reserva, coloque sobre a mesa claramente todas as condições e examine o que cada uma delas acarretaria. Porém, a decisão de investir ou não partirá de você, essa questão não deve ser terceirizada.

Até cursos existem para direcionar os planos de futuros investidores, frequente e agregue o máximo de informação possível.

4 – Faça a associação de investimentos e prazos

Ao definir sua meta ajuste os investimentos  a prazos, essa ação está incorporada à disciplina. Assim torna mais fácil encaixar dentro do orçamento, sem prejudicar mais um período em detrimento de outro. Tente investir mensalmente, estipule prazos de acordo com suas metas.

5 – Cuidado com a oferta de produtos financeiros

O ato de investir está muito mais comum atualmente e como o mercado segue a demanda, há muitos meios e empresas que oferecem produtos para investir.

Tenha cuidado com o excesso de ofertas e antes de sair de casa à procura de um bom investimento tenha em mente um objetivo para não cair na primeira proposta. O investidor deve ter claro o que é melhor para ele.

6 – Investir não é ganhar posição social

Tenha cuidado com a vontade de investir meramente para conseguir uma posição social, geralmente esta decisão é ligada a fatores emocionais que levam pessoas a colocar dinheiro em um negócio com intuito de ficar rico.

Patrimônio é algo que se constrói de forma lenta e gradual, além do mais, antes de investir, há os gastos básicos da família que devem ser prioridade. Tente usar a racionalidade e, caso seja um investimento que envolva as finanças da família, tente avaliar os prós e contras detalhadamente, o futuro de pessoas queridas estão em jogo.

* Jornalista e radialista, com 10 anos de experiência em radiofonia, é pesquisadora de literatura popular do nordeste brasileiro. Lançou em 2010 o documentário Nordeste que Rima, premiado pelo Ministério da Cultura do Brasil. Uma de suas paixões é viajar e compartilhar suas experiências com o público, além de estar sempre interessada em aprender novas línguas.

Você também pode querer ver...

3 Responses

  1. Natalia disse:

    Olá, boa noite, tudo bem?
    Gostaria de uma rápida orientação …
    Tenho 28 anos e tenho parte do meu dinheiro em LCI e pequena parte na poupança … ambos no banco da Caixa Economica….
    Nesses ultimos meses já ouvi diversas pessoas falando “cuidado” … “tire o dinheiro da CEF ” …. “melhor deixar td em poupança”… etc …. Tudo isso devido a essa crise do governo …
    Estou meio com medo, pois sempre só tive na CEF …

    O que vc acha ? Esse risco realmente existe ? O melhor agora é colocar tudo em poupança e se possível em outro banco ?
    Grata pela ajuda e orientaçao ..

  2. Amanda disse:

    Muito bom Roberta!

    Mas eu acho que a melhor dica é a 3 busque ajuda profissional, isso é muito importante e salva dinheiro.

    Aprender com que já está no mercado e ter humildade para pedir ajudar as pessoas que já estão no mercado é muito importante.

  3. Rick James disse:

    É um pena que em época de crise, buscar uma ajuda profissional acaba custando caro. Isso quando a consultora não acaba gastando todo o pouco dinheiro que a pessoa tem para investir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>